Arquivo de maio, 2006

Processo em ffw

Posted in Uncategorized on maio 31, 2006 by Unsere Welten
A vida é um processo de constantes mudanças, o que ocorre  quando entramos em processos contínuos de mudanças alimentadas pela ansiedade de que tudo mude da noite para o dia,  aceleramos o processo e ele deixa de ser natural! Nesse caso damos um passo maior do que a perna, tropeçamos e então levamos um tombo daqueles! O melhor a se fazer nessas circunstâncias é levantar, tirar o ffw,  usar o botão do pause (nem pense em apertar o rew!), concentrar-se e achar sua linha de equilibrio para apertar o play novamente sem usar o ffw. Deixe seus processos correrem sem atropelos!
Qual a graça de ver o final de um filme sem ter visto o desenrolar da história dele? Curta o enredo, pegue um balde de pipocas e divirta-se! 😛

Mentiras

Posted in Uncategorized on maio 29, 2006 by Unsere Welten
Quem diz que nunca mentiu está contando a pior de todas elas. Existem muitos tipos de mentiras, das mais leves e inocentes até às mais pesadas, mas geralmente todas elas são como um velho ditado diz: "mentira tem perna curta".
Sim, elas tem mesmo! Seja porque você diz uma coisa e tempos pra frente vai esquecer o que disse e vai dizer outra coisa oposta (contradição é o mais comum delator de mentiras) seja porque alguém vai perceber em algum momento, de um jeito ou de outro.
 
Quando alguem tem a memória fraca e ouve uma coisa depois ouve outra tempos depois, geralmente não vai perceber a contradição, ainda mais se forem com coisas pequenas e entao ela passa desapercebida.
Mas existem pessoas que se lembram de cada detalhe de conversas que ocorreram ha muito tempo, seja lá de que natureza for a conversa, e se alguem diz algo diferente do que disse anteriormente, percebe-se a contradição no mesmo instante.
 
Contradiçoes consecutivas delatam um mentiroso que, muitas vezes, nem se dá conta das mentiras que deixa escapar, mas essas contradiçoes consecutivas fazem alguém perder a credibilidade.
Todo mundo conta uma mentirinha de vez em quando, mas quando isso se torna uma rotina, uma bola de neve de metinrinhas é criada gerando uma situação totalmente desconfortável e, muitas vezes, irreversível.
 
Então controle suas mentiras seja lá qual for a natureza delas!

Quarentena

Posted in Uncategorized on maio 24, 2006 by Unsere Welten
Havia um peso no meu coração, algo que estava lá, mal resolvido, algo que faltava um desfecho.
 
Era como se uma situação tivesse sido enterrada sem ter sido resolvida. Pude externar minha angustia e me veio a resposta, doce e sincera, leve e me fez sorrir, me fez feliz, libertou meu coração! E então um peso enorme saiu do meu peito, e sinto-me livre, mais leve, algo pode ser finalmente deixado para trás guardado nas memórias boas de minha vida. Sigo meu caminho em frente, em paz. Só tenho a comemorar, mais um passo para uma nova vida, de coração forte e mente sã.
 
Deixo-lhe para trás com todo carinho, amor e respeito que lhe dediquei, obrigado por ter trilhado esse caminho comigo até chegar o tempo de seguirem destinos diferentes. Tudo será inesquecível e nada mais será dor. Obrigada pelo respeito, por não mostrar-se indiferente.
 
Meu coração, finalmente, saiu da quarentena.

Dicas de Jardinagem

Posted in Uncategorized on maio 23, 2006 by Unsere Welten
"Se o jardim apresentar pragas, faça o controle logo no começo, quando
é mais fácil. Evite usar venenos como inseticidas, pois podem causar
acidentes, prefira sempre receitas caseiras ou remoções manuais."

Acho
que eu devia ter lido essa matéria na revista logo que as pragas
surgiram no meu roseiral, mas percebi a presença da praga quando ela ja
estava em estágio avançado.
Após o alastramento ser contido, passarei a usar receitas caseiras e remoções manuais.

Relatório de aplicação do pesticida

Posted in Uncategorized on maio 22, 2006 by Unsere Welten
No primeiro dia de duplicação da dose do pesticida já começam a surtir efeitos satisfatórios. Os sintomas de ansiedade diminuem razoavelmente dando lugar à despreocupação e leveza, deixando espaço para que as rosas possam respirar novamente. O a aplicação do pesticida continuará a seguir à risca a dosagem estipulada para evitar o agravamento dos sintomas e o alastramento da praga.

Roseiral

Posted in Uncategorized on maio 22, 2006 by Unsere Welten
Naturalmente deve haver um equilíbrio, nem tanto a emoção, nem tanto a razão. Acho que não devo ignorar meu coração, mas também nao devia dar tanta corda pra ele para não entrar em uma especie de euforia gerada por elocubrações mentais fantasiosas temperadas pelo estimulo emocional de desenfreados sentimentos espontâneos e caóticos, daqueles que por vezes chegamos à conclusão de que não deveriam ter crescido tão rapidamente ou sequer terem nascido para ser um desgraçado inútil que nos faz feliz por alguns instantes e depois passa a nos atormentar como um praga que se alastra rapidamente sobre a mais bela das plantações de rosas e que pode ser contida com o uso de um ótimo pesticida chamado "bom senso: volte para a terra". Ou, se a situação ja tiver saído do controle, cortar o mal pela raiz matando todo o roseiral e plantando de novo. Atualmente estou tomando doses cavalares e contínuas do pesticida sem obter muitos bons resultados, pois o roseiral já foi bastante atingido. Cheguei a cogitar o uso do tesourão de poda para acabar com o mal pela raiz, mas as rosas são muito bonitas e ainda quero poder admirá-las. Insistirei no pesticida por mais algum tempo para tentar salvar o mais belo roseiral que já cultivei, duplicarei a dose na primeira semana, triplicarei na segunda, e assim sucessivamente até que a praga seja extiguida. Se o uso do pesticida for um fracasso, suspenderei todas a doses para que o próprio pesticida não mate o roseiral de forma mais dolorosa. Dessa forma o tesourão de poda será requisitado e o belo roseiral será eliminado pela raiz e permanecerá para sempre apenas na memória.

Sobrevida

Posted in Uncategorized on maio 19, 2006 by Unsere Welten
Quando estamos em nosso casulo sentimo-nos seguros, influenciados por meios externos manipuladores queremos nos aprisionar para fugir da bomba que assola nossos arredores. Somos como animais enjaulados comendo para sobreviver. Deixamos de viver, damos lugar ao medo e ao pavor que nos domina, nos prende e controla nossas sobrevidas.

Viva, não sobreviva.

%d blogueiros gostam disto: