Tons de cinza sem estrelas

Eu fechei os olhos e quando abri tudo estava diferente, ou talvez foram os meus olhos que haviam mudado. Senti saudade daquela casa que não era muito grande, mas um perfeito refúgio para sonhar. Quando olhei para o céu, eu descobri que apesar de vivermos sob o mesmo sol e olharmos para a mesma lua, nós não conhecemos as mesmas estrelas. Aqueles homens não viram o que eu vi, e agora as luzes que me cercam ofuscam as constelações. E num ritmo incessante as multidões passam despercebidas aos diversos tons de cinza que cobrem os caminhos pisados sem nenhuma consciência. No meio de tanta mediocridade e dos aborrecimentos que essa consciência carrega, já não sei mais se o pior é saber que não se sabe ou não saber o que se pode conhecer.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: