As palavras

Já dizia Pessoa que o poeta é um fingidor. Eu não sou poeta, e não sei dizer se estou fingindo. Eu escrevo melhor do que falo, de forma a controlar cada expressão e cada verbo conjugado no que quero que seja lido. Não que o que eu escrevo seja interpretado como na intenção da escrita, mas pode-se dizer que é comum encontrar as palavras de acordo com meu estado de espírito. Mas sendo a forma verbal uma limitação da capacidade de expressão e cada frase é calculadamente composta, então eu sou uma fingidora, e o único modo de conhecer o que está escrito por detrás das linhas é aprendendo a ler os olhos de quem as desenhou.

Anúncios

Uma resposta to “As palavras”

  1. marinices Says:

    minha amiga poeta 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: