Leucócitos Bárbaros Acéfalos

Naquele corpo habitavam Leucócitos que bradavam suas espadas a cada antígeno estranho que encontravam, dizimavam toda e qualquer população vinda do exterior. Um exército forte combatente que poderia ser considerado muito eficiente não fosse um pequeno detalhe: o exército leucócito, de alguma forma, possuía em seus núcleos o DNA com genes procedentes da linhagem de Conan, o Bárbaro. Era uma força armada composta por bárbaros acéfalos e xenófobos que atacavam tudo que encontravam a sua frente.

Houve uma vez que o corpo fora invadido. O exército bárbaro de leucócitos não estava conseguindo manter o controle da situação e pouco a pouco tombavam caindo em derrota. O corpo pediu ajuda externa e foram enviados reforços de tropas Ácido Acetilsalicílicas. O exército leucócito, xenófobo e acéfalo, ao ver aquela tropa avançar, começou a matar primeiro para perguntar depois. Foi o início um imenso massacre e os próprios leucócitos eram os responsáveis pela destruição do corpo em que habitavam.

Desesperado, o corpo quase totalmente dominado conseguiu pedir socorro e mais uma tropa de ajuda fora enviada, dessa vez de um forte exército de Maleato de Dexclofeniramina. Os bárbaros então foram rendidos e o Ácido Acetilsalicílico pôde terminar sua missão com sucesso. Era quase impossível entrar em um acordo com aqueles glóbulos brancos, o exército leucócito acusava de antígeno não próprio quase tudo o que vinha de fora, fosse inimigo real ou não. Sua conduta era uma só: “seek and destroy”.

As guerras internas continuavam. O corpo sofria ataques de tensão insuportáveis todo mês e o exército leucócito acabou admitindo que ele não era capaz de agir naquelas situações. Assim, para aliviar a situação, foi assinado um tratado de paz com as forças armadas Piroxicam e Paracetamol, ainda que estes não pudessem controlar as instabilidades territoriais daqueles períodos críticos.

Após os acordos e tratados de paz com os leucócitos, o corpo nunca mais entrou em guerra celular,  mas o estado de alerta é sempre mantido, pois a qualquer momento os glóbulos brancos podem se rebelar em honra à memória genética de Conan, o Bárbaro.

Uma resposta to “Leucócitos Bárbaros Acéfalos”

  1. Osmose Jones na Era Hiboriana, hahaha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: