Na órbita dos 30

Passar dos 25 anos não é muito assustador, aos 26 é fácil pensar que ainda se está próximo dos 25, que está na casa dos 20. Ao fazer 27, você percebe que se distanciou um pouco mais, mas é ao alcançar os 28 anos que a realidade dos 30 começa a ficar palpável; a partir daí o tempo passa em movimento uniformemente acelerado.

Enquanto corre o tempo, as crianças começam a lhe chamar daquele pronome o qual é usado para designar o irmão do seu pai, mas não é esse o fator que denuncia que você está envelhecendo, afinal, os pequenos chamam de tio/tia qualquer um que seja maior do que eles. O seu envelhecimento está, na verdade, proporcional e diretamente ligado ao número de fatos históricos marcantes que você vivenciou.

Eu havia acabado de nascer quando estudantes já lotavam ruas e praças pelo movimento Diretas Já; em 1989 ainda estava no auge dos meus 6 anos de idade quando houve a primeira eleição direta para presidente no país após a ditadura militar; lembro-me de brincar com as revistas e jornais de meus pais quando vi anunciada a vitória de Fernando Collor de Melo, com a foto do mesmo sentado em uma poltrona preta. Era comum ligar o rádio e volta e meia escutar notícias que mencionavam fatos da Guerra Fria, até noticiarem a queda do Muro de Berlim no mesmo ano.

Foi ao fim dos meus 8 anos que eu ouvia quase todos dias na TV a célebre frase “Invente, tente, faça um 92 diferente” da vinheta que precedia a 2ª Conferência Internacional sobre o meio ambiente, a Eco 92, que deu origem a todos os exageros do marketing do ambientalismo e desenvolvimento sustentável com que somos hoje bombardeados. E ainda tem aquele famigerado plebiscito de 1993, quando a população deveria decidir o sistema de governo do Brasil, em uma tentativa de reinstaurar o regime monarquista no país.

Parece que foi ontem que dois aviões atingiram as Torres Gêmeas nos Estados Unidos; mas, para mais me espantar, eu ainda tinha 18 anos quando acordei naquela tenebrosa manhã de 11 de setembro para ir ao cursinho pré-vestibular. E essa galera que nasceu em 92-93? Hoje já é maior de idade e não tinha nem 9 anos na época; esse deve ser o primeiro fato histórico marcante de que essa moçada consegue se lembrar. Os últimos 10 anos passaram com uma velocidade tão assustadoramente rápida que mais assustador ainda é pensar o que será dos próximos 10.

Cheguei aos 28; daqui para os meus 30 será um estalo de dedos e não demorará muito para que eu perceba que escrevi esse texto há anos atrás.

Anúncios

Uma resposta to “Na órbita dos 30”

  1. Eu fazia trabalho de office boy quando fui abordado na rua por jovens monarquistas, para participar do abaixo assinado a favor da monarquia. Imediatamente, após receber um pin com uma coroa, que o rapaz colocou em meu bolso, assinei “Adolf Hitler” e coloquei o rg 01.039.045-666. Ele apertou a minha mão e agradeceu pelo apoio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: