Archive for the Uncategorized Category

Equação

Posted in Uncategorized on setembro 14, 2015 by Unsere Welten

Talvez, e apenas talvez, um dos meus grandes e injustos medos é o de que quanto mais você corra a si mesmo, mais distante você ficará de mim, como uma inevitável equação de resultados inversamente proporcionais a qual nunca poderei compreender.

Anúncios

Todo o ódio aos livros de colorir

Posted in Uncategorized on maio 22, 2015 by Unsere Welten

image

Haters gonna hate. A moda do livro de colorir, o sumiço do lápis de cor das prateleiras das lojas e fotos no instagram de páginas pintadas. Toda essa febre foi o suficiente para ativar o ódio dos haters de modinhas que aparecem na internet.

“Eu sou um artista, sempre pintei e desenhei desde criança, agora vem esses idiotas que sempre acharam que pintar é coisa de criança achar que são legais e descolados com esses livros idiotas.” Ou então “compra livro e lápis de cor só para ficar se exibindo no instagram.” E os mais exaltados “parece um bando de retardado! Não aguento mais ver flores!” Teve uma que até se achou engraçada comprando um livro só para fazer um suposto video tutorial de como pintar um livro, rabiscando as páginas com canetinha e mostrando que não aguenta mais essa modinha.

Gente, por que tanto ódio? Ainda não entendi essa implicância com febres de atividades temporárias, essa raiva despertada pelas fotos postadas no instagram e no facebook. E daí se é moda? E daí se pessoas que nunca ligaram para lápis de cor estão agora pintando? Tudo isso é porque você já pintava antes e agora está incomodado com a “concorrência”? Tá triste porque não tem mais um hobby exclusivo? Juro que não entendo essa necessidade de se diferenciar, ser único e fazer algo que ninguém faz. Tá insatisfeito? Muda de atividade, explore novas atividades e encare novos desafios e deixe em paz quem está feliz pintando florestas, flores e mandalas. Se você sempre pintou, tenho certeza que não serão iniciantes com lápis de cor e livros de colorir que vão te “desbancar”.

O que eu vejo é uma febre saudável, com seus excessos ou não, com gente querendo apenas aparecer ou não, eu vejo gente feliz entrando numa onda colorida. E não precisa o mundo de mais cor? Um dia eu estava pintando meu livro numa sala de espera, e uma senhora me perguntou sobre ele, onde comprei e disse que ela queria pintar também. Outro dia a reencontrei e ela me mostrou fotos dos livros dela e das amigas dela, com quem ela estava pintando. Amigas que se reuniam para pintar juntas e conversar. Quer coisa melhor do que uma atividade descontraída em grupo? Eu vejo mães pintando junto com seus filhos, eu vejo pessoas duras se entregado ao prazer de ser criança. Eu vejo cor, eu vejo paz, eu vejo amor. Faça então um esforço: pare de odiar.

Que essa febre dure o tempo que durar, e, quando ela acabar, que tenha deixado no mundo pessoas com um pouco cor na vida. É disso, afinal, que o mundo precisa.

A minha dor

Posted in Uncategorized on fevereiro 5, 2015 by Unsere Welten

Aceita minha dor, desproporcional ou não, é verdadeira, é sentida com todo o meu coração. Aceita minhas lágrimas, elas lavam a minha alma e me permitem seguir em frente. Se não puderes dizer nada, apenas enxuga-as, e se não puder enxugá-las, apenas vá e deixa que sequem sozinhas.

Nomes

Posted in Uncategorized on novembro 1, 2014 by Unsere Welten

Insegurança é meu nome, e o medo, sobrenome. Meus filhos são nervosismo e palpitação, e todos se chamam medo, o sobrenome da insegurança.

Preguiça

Posted in Uncategorized on outubro 31, 2014 by Unsere Welten

Preguiça daquilo que cansa, das minhas lágrimas desmerecidas, incontidas, soltas em vão, pelo coração machucado não pela morte de alguém, mas pela dor de sentir a dor que não nos convém.

Irritações de gênero

Posted in Uncategorized on agosto 27, 2014 by Unsere Welten

Irritou-se, irritar-se-á, irrita, irritará. É o que faz você, faço eu, fazemos nós. Faz quem ama, faz quem é amado, quem odeia e quem é odiado. Irritar e ser irritado. Aquela mania irritante, aquela personalidade que não muda, aquela nóia, aquela paranóia. Cada um tem uma, tem várias, e por serem tão diferentes em cada um é que sempre acabam por irritar umas às outras, em algum momento irritante.

Escarafunchando

Posted in Uncategorized on agosto 18, 2014 by Unsere Welten

Escarafunchando, lendo e encontrando passado próximo e distante do próximo, em meio a dores que se misturam com as minhas e sorrisos que se encontram nos meus. Alimentam meus medos, meus anseios e receios que florescem em meio à admiração de ser e não saber. É poesia que desvela a alma ou revela a dor fingida da dor deveras sentida. 

%d blogueiros gostam disto: